quarta-feira, 23 de junho de 2010

Ju Lohmann

Muita pança e pouca dança
Na valsa tonta da infância
Em mim, cordas sem concordância
Prisioneiro da reprise
Ser louise, alcoolize-se
Ate-me ao t{ato}. Finalize!
Ass{ass}inei fino cont{r}ato
Fraquejando aos m{in}úsculos
Miúdo como o mundo
Entornei, entornei, entortei...

Gu²

pouca trança, e muita lança
Fim de valsa e de lambança
Em nós, aborto no final da festa
Liberteiro democráta
Juliana não se engana
Até que a vida em si for chamas
Contrato mal humorado
Reicindido em gargalhadas
Estapiei seu miúdo mundo
E tornei a me entornar
desta vez, da boca pra dentro.


-

5 comentários:

Ma'S disse...

Adoreii juh!
que lindo...
um beijo com muita paz.
;**

CorVo disse...

Legal! Bem criativo como sempre! Esses seus poemas são coisas atuais ou é coisas guardadas em diario de outras épocas?
até mais,
beijos

Janaína Fã de... disse...

simplesmente amei seus poemas são bem atrativos e com um gostinho de quero mais você sabe mesmo escrever e fazer com que as palavaras tenham sentido amei tudo o que vc escreve são as mais belas palavras que ja vi em perfeita sintonia!!!!

Thainá Rosa disse...

Adorei a brincadeira com as palavras!Tem um rítmo muito bom!
;*

Ruan Carlos disse...

Oi, tudo?olha meu vídeo sou muito fã é uma homenagem http://www.youtube.com/watch?v=EmgurQ3vY50 Abraços, me responde se ver?
bjs...