terça-feira, 8 de dezembro de 2009

z.E.u.

Em pé.

Derruba críticas

pensamentos

opiniões

Milhares deles.

Batalha de cara erguida

Joga o jogo do teatro limpo

Esparrama seu monólogo preciso

Explode na inteligência

Brota sorriso na arte

Bota gargalhada no público

Essa tua sinceridade cômica

Enche a barriga dessa gente de alegria

Enquanto eu esvazio a sua

Sou a sua piada de mal gosto

Sua cena mais trágica

Faço chorar quem faz rir

Te tiro do teu raciocínio

Te juro palavra

Te faço pássaro

E te fuzilo no céu.


5 comentários:

Marcelo Mayer disse...

ninguém faz revolução com terno e gravata!

um dos seus melhores!!!! até amanhã no lançamento!

Diego Noble disse...

Ela não é só um rostinho bonito na tv.

Mao disse...

Poesia forte! Uns nascem para rir, outros para fazer sorrir...
Eu também escrevo. Uma amiga criou um blog com minhas poesias, se puder, visite: http://oourodamiseria.blogspot.com/

Meu contato: hc_mao_2@hotmail.com

maialirica disse...

ju ola flor !uma duvida sera q vc me esclarece?quero o livro seu e das meninas mas moro em sp :( eu consigo comprar onde?

Xandy Britto disse...

Temos um estilo de construção e fluxo poético, bem parecido. Gosto muito de poesias sem pontuação. Aliás, pra quê usá-la sempre? Não precisa!